Governador deve anular a criação de novos auxílios-alimentação

20 de Junho de 2017, 11h58

O governador Marconi Perillo deve anular o projeto de lei, em tramitação na Assembleia, que concede auxílio- alimentação de R$ mil a R$2,1 mil para 1,7 mil servidores da PGE (Procuradoria Geral do Estado), CGE (Controladoria Geral do Estado), Segplan (Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento) e Casa Civil. Apenas o pagamento deste benefício custaria R$30 milhões por ano ao Estado.

Os benefícios já aprovados pelos deputados e sancionados pelo governador já estão garantidos. Sendo estes o auxílio-alimentação mensal de até R$2,1 mil para os servidores da Sefaz (Secretaria da Fazenda do Estado de Goiás), e de R$560 a R$600,00 aos servidores da Juceg (Junta comercial do Estado de Goiás). Também continuam garantidos os benefícios do Procon Go , Ipasgo e da Educação cujo projeto está em andamento na Assembleia e deverá ser aprovado em segunda votação ainda nesta semana.

A aprovação de planos e cargos e salários como da Agrodefesa e dos Técnicos da PGE, não serão afetadas com a decisão do governo e terão impacto de 26 milhões para este ano.

Fonte: Jornal " O Popular"

Fonte: Assessoria de Comunicação