PALAVRA DO PRESIDENTE

03 de Setembro de 2021, 15h51

Hoje nosso país está divido. Há pelo menos dois tipos de manifestações. Manifestação pró e contra o governo. Ambas são legítimas do ponto de vista que cada um escolhe para si o que entende ser melhor. Há, porém, que ponderar que em um dos lados, na defesa de seus ideais atacam a democracia, ameaçam pessoas e instituições e tem causado bastante instabilidade e um certo temor de que haja um rompimento entre elas, ferindo de morte o Estado Democrático de Direitos.

Necessário se faz lembrar que a Constituição Federal é a bússola que deve guiar nosso caminho para o bom funcionamento de nosso país e como a maior e mais forte de nossas leis ela assim deve ser respeitada, para que tenhamos na prática a paz e o bom funcionamento como País que ela assegura.

Se de um lado temos um STF que nas suas decisões causam muitas incertezas jurídicas, do outro temos um Executivo que esqueceu de governar e resolveu partir para o ataque aos outros poderes, e um Congresso Nacional que há muito não trabalha para defender os interesses do país e de sua população, atendendo a grupos isolados, deixando a população jogada a própria sorte.

É necessário neste momento que já há uma crise instalada, que todos façam meia culpa e assumam a responsabilidade que lhe cabe para que contornemos todo esse momento pavoroso e voltemos a navegar em águas calmas.

É urgente que a paz e a harmonia entre os poderes sejam restauradas. É urgente que eles possam conversar, aparar as arestas entre eles e reparar a confiança um no outro para que que o Brasil volte de vez ao caminho da prosperidade, trazendo calma à população para que esta se sinta protegida.

Entre outras mil és o Brasil, nossa pátria amada, a nossa mãe gentil, a mãe de todos os filhos nascidos nesse solo, como bem diz nosso HINO NACIONAL. E que mãe quer ver os seus filhos se digladiando? Como patriotas e filhos dessa terra devemos respeito à nossa mãe pátria. Devemos colaborar para que a casa dessa mãe esteja sempre em perfeita harmonia. Se há responsabilidade, amor e bom senso não há necessidade de confronto. As Instituições se devem respeito. Nós brasileiros devemos respeitar as nossas Instituições. O Brasil deve ser respeitado por todos.

Fonte: Gilclésio Campos - Diretor Presidente