PROJETO BEBÊ IPASGO BENEFICIA RECÉM-NASCIDOS EM GOIÂNIA 

04 de Agosto de 2020, 14h02

Bebê Ipasgo - Divulgação Ipasgo

Foto divulgação Ipasgo. 

Seis recém-nascidos em Goiânia já foram beneficiados com o cadastro biométrico oferecido pelo projeto Bebê Ipasgo. Esta ação de biometria neonatal do Governo de Goiás facilita o acesso aos serviços de saúde e garante maior segurança no processo de identificação infantil.

O projeto, que é desenvolvido pelo Ipasgo em parceria com a Secretaria de Segurança Pública e o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, permite que os recém-nascidos sejam registrados biometricamente ainda dentro da maternidade. Na última terça-feira, dia 28, João Pedro de Oliveira Ferreira nasceu e se tornou o sexto Bebê Ipasgo. O registro biométrico foi feito ainda na maternidade, de onde saiu com seu cartão Ipasgo (sem carência), certidão de nascimento e CPF.

Para o presidente do Ipasgo, Hélio José Lopes, o projeto Bebê Ipasgo leva inovação e tecnologia ao serviço do usuário do plano. “Esse bebê já é incluído automaticamente no plano sem carência, além disso há mais segurança para todos porque esse trabalho permite a identificação completa da criança evitando fraudes e prevenindo furtos de crianças, entre outros delitos”, comenta.

FASE EXPERIMENTAL

O primeiro registro do Bebê Ipasgo aconteceu no dia 4 de junho, em Goiânia, no Hospital da Mulher, com a coleta da impressão digital do recém-nascido Felipe Neres da Mota. Ele foi incluído como dependente e os pais receberam o cartão de usuário logo após o nascimento.

O projeto está sendo desenvolvido em fase experimental. Neste momento, a usuária do Ipasgo gestante com interesse em participar do projeto pode entrar em contato com a Gerência de Ação Preventiva (Geprev), pelo telefone (62) 3238-2423. Quando se encerrar a fase de testes, o Bebê Ipasgo estará disponível à todas as gestantes usuárias do plano de assistência.

PARA EVITAR PROBLEMAS

O cadastro dos recém-nascidos, via projeto Bebê Ipasgo, garante a inclusão dos dados na base de identificação biométrica da Polícia Civil, possibilitando o aumento da probabilidade de resoluções de inquéritos futuros. A biometria neonatal evita problemas comuns em maternidades como trocas, roubos, vendas, tráfico e adoções ilegais.

NÚMEROS CNA

Segundo dados do Cadastro Nacional de Adoção (CNA) há pelo menos sete mil crianças abandonadas, quando bebês, aptas para adoção. Com o cadastramento neonatal obrigatório, o bebê abandonado terá rapidamente sua identidade reconhecida, assim como aquela da mãe e dos responsáveis.


FILIE-SE E GARANTA BENEFÍCIOS EXCLUSIVOS. FAÇA PARTE DA NOSSA FAMÍLIA!

Fonte: Assessoria de Comunicação - Marielly Dias / Com informações de Ipasgo